Microcalcificações Mamárias: O que elas significam?
As calcificações são um dos achados mais frequentes nas mamografias. Aparecem na forma de pequenos pontos brancos ou áreas maiores, também brancas. São, de fato, depósitos de cálcio formados dentro dos tecidos da mama e na maioria das vezes estão associadas a lesões benignas. Os médicos geralmente identificam dois tipos:

Macrocalcificações – tem vários milímetros de diâmetro, com forma irregular (parecem com uma pipoca) e não estão usualmente relacionadas com um câncer.

Microcalcificações – são vistas como pequenos pontos brancos na mamografia, medindo cerca de 1 milímetro. Podem ser isoladas (o que sugere normalmente uma condição benigna) e visualizadas em uma ou várias regiões da mama ou ainda se apresentar em grupamentos com poucas até várias dezenas de pontos calcificados. Outro padrão de distribuição é em forma de círculos ou em linha. Quando as microcalcificações se mostram numerosas e agrupadas em uma área limitada da mama, isto pode indicar a presença de um câncer de mama em fase inicial.
                                                                                               
O que acontece a seguir se você tem Microcalcificações?
Se a sua mamografia de rotina mostrou um grupo se Microcalcificações agrupadas, o seu médico poderá solicitar uma mamografia diagnóstica complementar (mamografia ampliada chamada magnificação), uma ultrassonografia ou uma biopsia.


É importante que você compreenda que:
Quando o Radiologista avalia as calcificações, ele irá relatar no laudo, o grau de risco que elas representam. A partir daí o Mastologista vai tomar decisões para o esclarecimento do problema:

- Se o risco for baixo, você poderá ser solicitada a fazer uma nova mamografia (para controle) daqui a 6 meses. Essa medida vai ajudar o seu médico a verificar se alguma mudança vai acontecer.
- Se o risco for considerado moderado ou alto, o médico vai lhe indicar uma biopsia da mama, onde vai ser removida a área que contém as microcalcificações. A melhor forma de chegar ao diagnóstico será, sempre que possível, através de uma biópsia de agulha. veja mais.(fazer Link para a página Diagnóstico).
- Se for encontrada alguma alteração mais séria, geralmente o diagnóstico mostrará um câncer de mama em fase bastante inicial, onde as chances de cura estão próximas de 100%.

Outras situações benignas podem ser a causa de Microcalcificações que aparecem na mamografia:

- Traumatismos antigos no tecido mamário.
- Cistos (pequenas coleções líquidas no interior das mamas)
- Mastite, uma inflamação da mama causada por bactérias.
- Cálcio coletado dentro de um canal de leite dilatado.
- Calcificações em artérias dentro das mamas.
- Radioterapia usada para tratar câncer de mama.  
- Calcificações em um fibroadenoma antigo (tumor benigno da mama).

A análise das microcalcificações da mama e sua classificação de risco continuam a ser um desafio para os mastologistas, mesmo com o progresso dos métodos de imagem. É importante que cada mulher saiba que os médicos empreendem os seus melhores esforços para interpretar as microcalcificações da melhor forma, escolhendo com serenidade e bom julgamento a conduta mais adequada para cada caso.

MICROCALCIFICAÇÕES